Isitec recebe representantes da Universidade Halmstad, da Suécia

Encontro foi o primeiro passo no sentido de firmar parcerias e promover a troca de conhecimento entre os países

Ocorreu na tarde de quarta-feira (11/11) um encontro entre representantes do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec) e da Universidade de Halmstad, na cidade litorânea de mesmo nome, na Suécia. Durante a atividade, realizada na sede da instituição, mantida pelo SEESP, as instituições trocaram experiências e pontos de vista sobre engenharia e inovação. O objetivo é firmar parcerias para promover a troca de conhecimento entre os países. Ao final, as instituições descobriram que têm muito em comum.

A começar pelo perfil da instituição da Suécia, que surgiu há 32 anos com a proposta do curso novo de Engenharia de Inovação. Atualmente, a instituição tem graduação, pós-graduação e extensões sobre o tema, como em Novos Modelos de Negócios. Em entrevista ao SEESP, o vice-chanceler da Halmstad, o professor de física Thorsteinn Rögnvaldsson, reconheceu que as propostas das duas instituições são bem semelhantes. “Sim, temos uma proposta diferente em todo mundo em que esperamos que o estudante seja bom em muitos assuntos. Não significa que precise se aprofundar em todos esses assuntos, mas precisa continuar estudando combinações possíveis para se chegar a um novo resultado”, explicou.

De acordo com seu relato, o engenheiro de inovação precisa ser o profissional que enxerga a relação entre diversas áreas. “É muito importante que se você quiser extrair valor a partir da educação, você precisa de alguém que seja especialista na criação desse valor, não é só ser um expert ou ter vários especialistas em diferentes assuntos. É fundamental que exista alguém que saiba reunir esses assuntos, que possa juntar as peças para fazer algo novo”, completou Rögnvaldsson.

Perguntado sobre qual o motivo principal de sua visita ao país, ele lembra que a universidade a qual é vice-chanceler tem recebido muitos alunos brasileiros que se destacaram nos últimos anos. “Temos muitos programas de intercâmbio com universidades brasileiras e agora com o fortalecimento do programa Ciência Sem Fronteiras, temos muitos brasileiros conosco desde a graduação até pesquisadores Phds, e eles são muito bons. Queremos mais”, declarou.

Ele contou que o financiamento da Educação Superior em seu país, assim como todo o restante do sistema educacional, é financiado com recursos públicos. No entanto, nos últimos anos com o aumento do número de estrangeiros nas universidades suecas é cobrado um valor deles, com exceção para o europeu.

O professor de Gestão Industrial da Halmstad, Mike Danilovic, lembrou que inovação é um processo: “Inicialmente existem inventores e suas invenções. As ideias são apresentadas na esperança que as pessoas reajam a ela de alguma forma, tornando-a relevante. As pessoas vã dizer: eu gosto dessa ideia, eu posso comprar isso, ou minha empresa pode investir para que chegue ao mercado. Somente se você tiver êxito ai sim poderá afirmar que é inovação, se esse processo acontecer”. Danilovic acrescenta que geralmente as grandes ideais são desacreditadas no início. “Se fosse possível prever o que será inovador, ele afirma: eu seria milionário”, ironizou.

Por vídeo conferência, o professor Kristian Widen, falou da Suécia sobre sua área de atuação na Universidade de Halmstad, que é gestão em inovação sustentável na construção civil, setor que, em suas palavras, ainda é pouco explorado e é possível investir em tecnologias que reduzam custos, melhorem a segurança e salubridade das obras.

Participantes brasileiros

Os representantes do Isitec se revezaram para contar aos visitantes o perfil do instituto e desafios diante da realidade econômica e social brasileira. Entre eles estavam o diretor geral, Saulo Krichanã Rodrigues; diretor da graduação, José Marques Póvoa ; diretor Administrativo e Financeiro, Fernando Palmezan; diretor de Extensão e Serviços de Consultoria, Antonio Octaviano; e o consultor de Pós-Graduação, Denésio de Andrade Carvalho. Representando a mantenedora participaram os vice-presidentes do SEESP João Carlos Gonçalves Bibbo e Celso Atienza, que deu boas vindas aos visitantes e fez votos de que uma nova parceria surja a partir do encontro.

Ao final, os professores estrangeiros conheceram as instalações do Isitec e conversaram com os estudantes, já fazendo um convite aos jovens a irem trocar experiências com os estudantes suecos.

Deborah Moreira – Imprensa SEESP