Convênio de cooperação é firmado durante jornada Brasil Inteligente

Objetivo é desenvolver atividades de pesquisa, inovação e difusão de conhecimentos

No dia 24 de maio, o ISITEC (Instituto Superior de Inovação e Tecnologia) e a CNTU (Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados) firmaram convênio de cooperação com a SES (Sociedade de Engenharia de Software) e a SDPS (Sociedade para Ciência de Design e Processos). O termo foi celebrado durante a 4ª Jornada da Campanha Brasil Inteligente, realizada no auditório do SEESP, na Capital paulista.
Segundo expresso no acordo, o objetivo será desenvolver atividades de pesquisa, capacitação, inovação e difusão de conhecimentos e resultados. Entre os pontos principais de atenção estarão: a metodologia de produção de softwares; a implementação de laboratórios integrados; a divulgação e disseminação de saber científico através de publicações, promoção e participação em eventos nacionais e internacionais em áreas como desenvolvimento de tecnologias e engenharia; e a formação da Rede de Cooperação entre as entidades conveniadas e também com o SEESP, mantenedor do ISITEC.

O convênio foi anunciado antes da posse dos conselheiros consultivos da CNTU. Representando a SES e a SDPS, Fuad Gattaz Sobrinho destacou a importância do convênio para a constituição do que chamou “universidade cooperativa, uma rede de profissionais e instituições de educação formal orientada a aquisição de competência, além de formação”. Conforme sua fala, é o primeiro termo de cooperação estabelecido em nível nacional com a SDPS. “Essas entidades são reconhecidas nacional e internacionalmente. Sua assinatura é muito importante para a CNTU e o ISITEC, particularmente para o nosso trabalho e por ser uma experiência que pode ser replicada e multiplicada pelas diversas federações e categorias reunidas na confederação. A dimensão desse convênio está no centro e na essência do projeto do instituto, cuja primeira turma de graduação em engenharia de inovação terá início em março de 2014”, concluiu o diretor-geral do ISITEC, Antonio Octaviano.

Por Soraya Misleh/Imprensa – SEESP